As circunstancia podem nos mudar ou nos paralisar... A escolha é nossa.

Por GABRIELLE PEIXOTO
Um dia estava olhando o Instagram e vi uma pergunta que falou muito comigo: “Se suas palavras fossem seu alimento, sua alma seria nutrida ou envenenada."
Bem, o Salmo 126 diz assim:
"Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham.
Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o Senhor a estes.
Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres.
Traze-nos outra vez, ó Senhor, do cativeiro, como as correntes das águas no sul.
Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos."


O texto retrata como o povo se sentia quando saiu do exílio babilônico. No Salmos 137 nos traz um retrato do desapontamento do povo mediante ao exílio. Eles estavam tristes e até forças para cantar seus hinos e cânticos lhes faltavam à alegria por está longe de Sião.
Este exílio foi anunciado por Isaías quando Ezequias mostrou o reino para os babilônicos (II Reis 20:15-18) e durante 23 anos Deus usou Jeremias para que levasse o povo ao arrependimento, mas os homens não lhes deram ouvidos. A Babilônia foi usada como instrumento de correção (justiça) para mais uma vez trazer o povo de volta.
Assim como o povo de Israel, muitas vezes nosso coração se endurece e não conseguimos ouvir a voz de Deus ou fazer sua vontade. Um coração cheio de si fica surdo a voz de Deus.
Nunca conseguiríamos no remir ou redimir nos arrepender por conta própria. Foi um preço alto, muito além de que poderíamos pagar.
Estávamos exilados em nossos delitos e pecados (Efésios 2:5) e Jesus com seu sangue nos comprou (Apocalipse 5:9). Sua perfeição remiu nossas imperfeições, nos atraiu para o Filho do Reino do seu amor (Colossenses 1:13)  
Seu altruísmo nos dá acesso ao Pai. Seu sofrimento e vergonha se converteram em honra, resplendor, poder, gloria, força. O exaltado retornará para buscar aqueles que lavaram suas vestes em seu precioso sangue e assim abnegaram suas vidas por amor a Ele, vivendo em retidão, reconhecendo seus pecados e andando com uma vida de retidão e dependência Cristo.
O versículo 4 do Salmo 126, o salmista traz uma oração pedindo a Deus que lhes restaure a sorte... Jesus restaurou a nossa sorte.
Segundo o Portal Metodista, “o Neguebe é uma região com clima e ecossistima específicos, marcado por um verão sem chuvas e sem água nos rios e um inverno de chuvas que chegam a torrenciais.”
Em sua oração o salmista diz:
"Senhor, que em meio à aridez do meu coração que inunde sobre mim mananciais do teu Santo Espirito."
Lembra que no começo foi proposta uma reflexão?
"Se suas palavras fossem seu alimento sua alma seria nutrida ou envenenada?"
Lágrimas, assim como palavras, são sementes. Para se plantar, primeiro analise o tipo de solo (se tem pedras, espinhos, aves ou se é terra boa), depois o tipo de adubo para o crescimento da semente, a irrigação da terra e a luminosidade ao redor do solo.
Nosso coração era um solo árido, mas a semente do evangelho caiu e brotou.
O adubo usado foi a Palavra de Deus. Seus nutrientes nos eram mais do que necessários. Passávamos horas a fio examinando, estudando, buscando.
A irrigação é feita pelo Espirito Santo que renova Nas nossas mentes o desejo de procurar a Cristo, o mesmo que nos mostra o Pai, e o Pai derrama sobre nós o teu Espirito Santo.
A luz vem do Sol da Justiça aquecendo os nossos corações com sua misericórdia e amor. Então a planta cresceu, amadureceu, suas raízes se expandiram e passou a não mais reconhecer quem a fez crescer e seus frutos passaram a ser maus.
Quando semeamos palavras de encorajamento e engajamento para o Reino de Deus, esta ação do Espirito age na vida das pessoas brotando sementes do evangelho. Mais quando da nossa boca saem palavras amargas, nossa alma é envenenada pelo poder da carne que por vezes insiste em nos mostrar nossa natureza carnal e pecaminosa.
“Aspergirei água pura sobre vocês, e vocês ficarão puros; eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos. Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Porei o meu Espírito em vocês e os levarei a agirem segundo os meus decretos e a obedecerem fielmente às minhas leis." - Ezequiel 36:25-27
O versículo 10 de I Corintios 13 diz que quando o que é perfeito aparecer todas as imperfeições irão embora. Cristo é o mais que perfeito! Ele vivifica todas as nossas imperfeições nos dando Sua vida no lugar, mesmo que as conseqüências dos nossos atos fiquem em nós, porque Ele também não vai anular os nossos instrumentos de correção. Por que são estes instrumentos que nos trazem para perto Dele.
Os espinhos da carne que nos fazem depender de Cristo, nos abraçando com Seus braços de amor, para que nos venhamos ser cheios Dele e através de nós outras pessoas venham ser cheias Dele.
"Engraçado" é que antes de nos usar para os outros, Ele nos usa para cuidar de nós mesmos, para fazer aquela reflexão interior, olhar para dentro de si. Ver as coisas que precisam ser mudadas, os fardos que precisam ser largados pelo caminho ou coisas que já eram para ter sido mudadas e nos apegamos. Um exemplo disso é a historia de um Alpinista que, subindo no alto de uma montanha despencou ladeira abaixo, se agarrou em sua corda e pediu a Deus uma orientação. Então Deus olha pra ele e fala:
- Solta a corda.
-Não! Isso é de mim - disse o alpinista
- Solta a corda cara, solta a corda!
- Não! Isso é de mim... To ficando doido! Exclama o homem.
Passam horas e o homem pergunta de novo:
- O que eu faço?
- Solte a corda, meu filho! - Responde Deus
Mas a corda era a zona de conforto do homem, ele se sentia seguro ali. Sabia ele que estava a menos de 2 metros do chão. Talvez fossem só arranhões, escoriações, no máximo ele quebraria uma perna, porém, manteria a sua vida.
O homem, por se apegar a corda, morreu!
E em nossas vidas não é diferente. Muitas vezes nos apegamos às coisas do passado, à magoas, tristezas, decepções, rejeições, frustrações, sonhos que não se realizaram do jeito que queríamos durante o decorrer da vida... nos frustramos tanto que largamos tudo que Deus um dia prometeu. Nos esquecemos de Seu agir e de repente ouvimos: “Solte! Saia da sua zona de conforto siga em frente! Prossiga para o alvo, para o premio da soberana vocação que você vai conseguir.”
Que possamos orar, assim como esta escrita em Jeremias 24:7- “Dai-nos Senhor um coração disposto a te conhecer e que entenda quem Tu és.”
Que possamos ficar com esta palavra. Que mesmo em muitas ocasiões na qual tenhamos um coração endurecido para muitas coisas, possamos fazer nossas escolhas hoje, pedindo a Cristo para vir com seu manancial, às torrentes sobre nós e nos lavar das coisas que atrapalham a nossa aproximação Dele; de todas as coisas que nos cegam para que não vejamos as direções ao decorrer do caminho, evitando assim escolher os atalhos.

Que venhamos todos os dias a buscar ao Senhor e os direcionamento para cada dia... O Pão Nosso de cada dia, as direções diárias que nossos ouvidos.
Que corações estejam abertos e receptíveis diariamente à Ele.

0 Comentários em "As circunstancia podem nos mudar ou nos paralisar... A escolha é nossa."

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10