Posso ou não posso? O amor como chave.

 POR VINICIUS AGUIAR

 
"A comida, porém, não nos torna aceitáveis diante de Deus; não seremos piores se não comermos, nem melhores se comermos. Contudo, tenham cuidado para que o exercício da liberdade de vocês não se torne uma pedra de tropeço para os fracos." - 1 Coríntios 8:8-9

Paz meus manos e minhas manas!!!
As Escrituras são lindas e recheadas de belas histórias e parábolas. Muitas delas, porém, acabam por confundir muita gente a respeito do que se deve ou não se deve fazer. Precisamos sempre entender o contexto todo da Bíblia e JAMAIS usar qualquer texto fora de contexto, isto é, em separado de todo o restante. Precisamos entender primeiramente, de fato, quem é Jesus. A Bíblia não é um fim em si mesma, ela é um meio que nos leva a Cristo, e, sendo assim, o grande objetivo é entender quem é Jesus e o que Ele veio nos ensinar e mostrar, aí então, o entendimento da Bíblia como um todo vai ser simples pra gente, não haverá mais dúvidas. Um exemplo bem simples? O verso acima de 1 Coríntios.
A Bíblia nos diz para não comermos comidas sacrificadas a ídolos. Aqui vemos que a comida, porém, não nos torna aceitáveis diante de Deus; não seremos piores se não comermos, nem melhores se comermos. Uai, e agora?!
Nesse verso entendemos sobre a liberdade que Cristo nos dá. De fato sabemos que nada pode nos fazer mal se estamos realmente caminhando com Cristo. Não é necessária “cura de maldição hereditária” “quebra de maldições” “cultos de libertação”, simplesmente porque, se Cristo nos libertou, verdadeiramente somos livres, se conhecemos a Verdade, a Verdade já nos libertou. Ora, então que tipo de comida ou seja lá o que for pode nos afetar de alguma forma?
Bom, se estamos livres pra fazer tudo, onde “termina” essa liberdade? Como já dizia nossos avôs, “onde começa a liberdade do próximo”. E por que? Simples, lembra que nossa chave pra entender tudo é o conhecimento de Cristo e seus ensinamentos? O que foi que Ele nos disse? Amar ao próximo como a nós mesmos. Aí está a chave, o amor, que, claro, é a presença do próprio Deus.
Posso beber vinho? Sim, a bíblia não diz que não podemos, mas não podemos nos embriagar, é isso que a bíblia condena. (esse assunto rende uma imensa discussão, podemos fazer isso em outra ocasião). Se estou dentro da minha casa, com minha família, temos isso em consenso e, beber um vinho não vai afetar a fé de ninguém nem ser a fraqueza de alguém ali, posso beber, sabendo meus limites, é claro. Se estou do lado de um ex viciado em álcool, devo evitar. Se estou do lado de um irmão que tem por verdade que qualquer gota de vinho se faz pecado, não devo beber. Por que? Por amor. Porque nossa liberdade não pode jamais interferir na vida de outra pessoa, de forma a se tornar pedra de tropeço para ela.
E música secular (eita Vinicius vai querer entrar em todos os assuntos polêmicos gospel no mesmo texto? Rsrs).Costumo dividir música entre boa e ruim, não entre gospel e secular. Música pornográfica, música promíscua, profana, música que idolatra humanos, música que fala de ódio, vingança, classifico como ruim. Música que fala de Deus, que fala de amor, que fala de boas coisas da vida, que fazem sentir bem, que fazem sentido, classifico como boa. Bom, mas tenho irmãos que classificam como gospel (cantada por cantores crentes, sendo boas ou ruins) e secular (cantadas por cantores não crentes, sendo boas ou ruins) e então só ouvem gospel. Meus amigos, já sabemos, se for causa de escândalo, melhor não ouvir junto deles, nós sabemos o que Deus fala a respeito disso, e sabemos que o amor vai ser a chave também para não abalarmos a fé dos mais fracos, dos que ainda não compreenderam.
Ah, então devo ceder a todo tipo de “mimimi” tipo, se tem um irmão que não aceita mulher que usa calça, que corta o cabelo, que usa brinco, que ouve música secular, que vê TV, que bebe vinho, que fala, que não usa burca ou véu, devo fazer tudo isso pra não escandalizar? Ahh não, não mesmo, é aí que entra o bom senso, a sabedoria, o discernimento de como agir, de como ensinar, de como se portar. Não devemos de forma alguma deixarmos de dizer a verdade porque a verdade escandaliza, mas, devemos evitar “forçar a barra” por perto dos que ainda não compreenderam a liberdade que o verdadeiro Evangelho nos dá, e, sendo assim, ir devagar, pegando leve, “na moral”, com jeitinho, nos fazermos entender.
Como digo sempre, o segredo é buscar sabedoria e orar, orar muito, estar perto de Deus e ouvir sempre a sua voz, e, Ele mesmo vai nos ensinar como agir, enquanto o Espírito Santo cuida de convencer. Até lá, meus manos e minhas manas, a gente pega leve, por amor, como Jesus sempre nos ensinou a fazer.
Vinicius Aguiar

4 Responses to "Posso ou não posso? O amor como chave. "

  1. Que baita texto! Simples, objetivo e esclarecedor, exatamente como o Evangelho verdadeiro! Parabéns, Vinicius!

    ResponderExcluir
  2. Excelente, Vini!
    Incrível como Deus te usa para despolemizar e simplificar coisas que as pessoas costumam complicar!
    Que Ele continue te abençoando para você continuar nos edificando com seus textos!
    *-*

    ResponderExcluir
  3. Boom demais Vini! Deus te abençoe mais a cada dia!*-*

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10