Correção física: pode ou não pode? - Parte II

 
Por SAMU CAMPOS
Fala, Semeadores! Beleza? =]

Estamos acabando a saga de educação infantil, mas não poderia deixar de falar sobre os moldes seculares de educação.

Alguns países adotaram a lei de não disciplinar fisicamente os filhos (aqui conhecida como Lei da Palmada), Lei 2.654/03, indo no sentido oposto do que já conversamos por aqui. Essa lei aborda que “é dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor, passa a definir “castigo corporal” como “ação de natureza disciplinar ou punitiva com o uso da força física que resulte em dor ou lesão à criança ou adolescente”.” O objetivo nada mais é do que corrigir a criançada de qualquer outra forma que não seja fisicamente.

Mas por quê proibir umas palmadinhas de vez em quando?

Veja qual foi a justificativa dada para a tentativa de sancionar a lei: “Você é a favor de que pais mantenham seus filhos em cárcere privado, sem água, comida e brinquedo, por dias a fio? Não? Então você tem que defender a proibição do castigo no quarto quando ele for malcriado. Colocar no quarto ou no cantinho é uma violência similar à do sequestro.”

What???

Só eu que entendo que isso aí não tem nada a ver? Cárcere privado é uma coisa, correção física e castigo é outra! Mais uma vez reforço aqui: Não é espancar, é corrigir com amor, de leve, sem marcas, sem força bruta. Sejamos sensatos!

Como postei semana passada, "Não hesites em disciplinar a criança; ainda que precises corrigi-la com a vara, ela não morrerá" - Provérbios 23.13

Criança nenhuma vai morrer se você for justo na correção. Por isso também não devemos corrigir enquanto estivermos nervosos/irados.

Vejo o quanto já é difícil criar um filho em um mundo tão cheio de corrupção, mentira, violência, roubos, estupros, assassinatos e entre outros, e ainda tem essa de os pais não poderem corrigir seus filhos do modo correto. Até nisso o Estado quer botar o dedo. Dá licença ai que a cria é minha e não vou seguir moldes seculares para criá-los.

Sabe o que vemos toda vez que essa lei fica em pauta? Filhos denunciando seus pais porque os mesmo subiram o tom de voz com eles, filhos enfrentando os pais, filhos chantageando e ameaçando os pais, filhos que batem nos pais por já saberem que os mesmos não podem revidar... é isso mesmo o que o Senado espera da nova geração do nosso país? Está tudo trocado, os papéis estão invertidos, bagunçados e sem sentido.

Faça uma breve pesquisa (no Google mesmo) e verá a quantidade de estados e países que sofrem as consequências de terem proibido a correção física. Por medo de sofrerem as consequências, os pais aceitaram e hoje choram pela má criação dos filhos. Crianças birrentas, mimadas, exigentes, sem percepção de vida e futuro, adolescentes cheios de si, linguajar baixo, crianças/adolescentes violentos (oooooopaaaaa... mesmo sem correção física eles ficaram violentos? Uaaaaaau, aprenderam onde se eles não apanharam em casa??) Pequenos que ditam as ordens em casa e os pais em silêncio.

Existem mais chances de aumentar o número de marginais, e consequentemente de violência no nosso país se nossos filhos forem devidamente corrigidos ou se dermos a eles o direito de viverem, pensarem e falarem o que quiserem, afinal, são seres humanos portadores de todos os mesmos sentimentos que os adultos?

De fato os são, mas não tem a experiência que nós temos. Precisam ser guiados e devidamente instruídos. É exatamente através destas condutas que ajudaremos a formar o caráter de nossos pequenos. A formação de uma nova sociedade pensante e justa começa aí!

Penso que a melhor fase para trabalhar (digo em aspecto psicológico e espiritual) é a infância. Ela é o “filé mignon” da sociedade que, assim como o próprio corte do boi, é a parte mais macia, mais cara de se investir, porém, fácil de ser temperada. Vamos adicionar sal na criançada e aí não precisaremos partir para a correção física. (Se não entendeu, leiam o texto “Sal sob os pés")

Que Deus nos capacite para educar!

Até semana que vem!

Beijos

0 Comentários em "Correção física: pode ou não pode? - Parte II"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10