Sacrifício. Qual o limite?



Quando falo, penso, ouço, leio o termo sacrifício entendo obviamente como dor, negação, algo ruim. Pelas especificações de dicionários nos é trazido como:

* ação ou efeito de sacrificar;
* oferenda de animal, produto de colheita;
* abandono voluntário de algo precioso; renúncia;
* sofrimento, custo, esforço

Porém entre tantas opções de definições encontradas no nosso professor google, rs, uma delas me cativou e fez me definir com singeleza o proposto hoje, sendo:
"Sacrifício é a doação de algo valioso em troca de algo mais valioso ainda."

Cheguei ao ponto que busquei. Ao aceitar o convite do Irmão Eliezer Sejac a escrever no blog, me deparei com a questão: sacrificar o pouco tempo livre que me resta? E esse texto que você lê agora é testemunha e resposta: sim! 
Acredite você (e não é pra orgulho próprio, uso apenas de exemplo), em minha rotina, de sete dias da semana seis tenho ao menos um compromisso na Igreja em que congrego (Assembléia de Deus bairro Itaipava - Itajaí), isso mesmo, não simplesmente frequento, tenho a oportunidade, liberdade e satisfação de congregar! Parece loucura não é mesmo?
Talvez seja (ao seu ponto de vista), mas estou apenas e tão somente sacrificando meu eu, tempo, dinheiro,disposição, minha vida.

Agora você pergunta "porque?", há mil opções de distrações, divertimentos e passatempos no mundo em que vivemos hoje e principalmente em nossa faixa etária! Bem, eu encontro a resposta na bíblia da qual me motiva, me inspira a seguir a Cristo, encontro a verdadeira prova de amor que ninguém faz a ninguém, o sacrifício que me faz doar minha vida, da qual diz:

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3.16.

É, isso mesmo, Sacrifício pra mim significa isso, é meu maior exemplo! O único que morreu crucificado mesmo sem merecer, sem nunca ter cometido erro algum, Ele escolheu dar sua vida, derramar seu sangue por mim e por você, pra que hoje estivéssemos aqui, nessa oportunidade de escrever/ler esse lembrete Dele pra nós.

Então, após esse pequeno lembrete, seja franco, é sacrifício demais cumprir os dez mandamentos deixados a nós na bíblia sagrada? É sacrifício demais dizimar? É sacrifício demais seguir o exemplo de Jesus Cristo de orar e jejuar? (Em minha singela opinião, nada do que eu fizer será o suficiente pra retribuir o que Ele fez por mim, por isso desde que nasci sou dedicada a Ele.)

Enfim, nossas vidas custaram preço de sangue inocente, da qual só Jesus Cristo pagou.
Pense hoje comigo, será que não vale a pena sacrificarmos tudo em nós? (não só um dia por semana, não procurando uma igreja apenas quando temos problemas ou em dias de festas, não cumprindo apenas os mandamentos que nos convém, mas sacrificando t-u-d-o em nós.)
Foi por puro e real amor que Ele se sacrificou em tudo por nós e concedeu-nos assim o direito de após nossa morte aqui na terra,  (da qual todos nós haveremos de passar um dia, até que Ele volte) possamos ainda viver eternamente, no céu, louvando ao nome Dele, em gratidão!

Não, não basta apenas fazermos o que nos convém para ir ao céu, é necessário doar tudo o que somos e temos, absolutamente tudo em nós a Ele, sem murmurar, sem medir, sem contar, sem vangloriar-nos, apenas viver e existir pra Ele, por Ele e o melhor de tudo, eternamente, com Ele, Jesus Cristo, Salvador.

Concluo assim meu "lembrete" a vocês nesse dia. Se você vive hoje é graças ao sacrifício de vida Dele.
Na paz de Deus, 
Francielle Duarte.

0 Comentários em "Sacrifício. Qual o limite?"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10