São tantas emoções...


Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Romanos 12:1)


Se chorei ou se sorri; ou se pulei ou se dancei; ou se gritei ou se rolei no chão ou se dei gargalhada, o importante é que emoções eu vivi! Importante? É mesmo? Não, não é não!

Esse é mais um versículo polemico, assunto que faz tradicionais, pentecostais e neopentecostais interpretarem cada um a sua maneira, mas como eu sempre digo, a gente não precisa de livros ou grandes sábios para interpretar a bíblia, é só a gente ler e é o que está escrito, sem mais.

Percebam que Paulo está falando aos romanos “pela compaixão de Deus”; seria quase o que usamos hoje como “pelo amor de Deus”, implorando mesmo, tamanha é a preocupação dele com o assunto de apresentarmos a Deus um culto racional.

A igreja em Corinto, por exemplo, era cheia de dons espirituais, e mesmo assim, Paulo os chama de meninos e carnais em sua primeira carta a eles. Uma igreja com muitos dons espirituais não se traduz em uma igreja madura, e tenho me preocupado muito com o que vejo por aí, uma geração de crentes emotivos e imaturos.

Eu choraria bastante em um show do U2 ou Coldplay, me faria sentir bem, deixaria minha alma em bom estado, mas isso mudaria minha vida? Eu sairia do show como dizem “de alma lavada”, mexeria bastante comigo, mas daqui uma semana minha vida estaria a mesma, talvez daqui a dois dias depois do show. Sabe o que tem acontecido nos cultos da maioria das igrejas atualmente? Exatamente isso! Apelos emocionais, técnicas claramente psicológicas e não espirituais para mexer com as pessoas, que saem desses cultos, shows, eventos com a alma lavada, regozijando, achando tudo lindo, mas uma semana depois, tudo normal, tudo como antes, vazias de novo, e não sabem por quê.

Não sou contra os eventos, tenho minha visão a respeito da “cena gospel atual” mas não vem ao caso. O que quero dizer aqui é que a PALAVRA DE DEUS transforma vidas, não a emoção de momento. Jesus não usou esse artifício, muito pelo contrario, Ele pegou pesado e muita gente abandonou a ideia de segui-lo. Pedro pregou no início da igreja e quase 3000 se converteram. Ele usou show? Sonzão? Mega divulgação? Estrutura de casa noturna? Ele passou horas chorando na ministração? Ele fez as pessoas repetirem com ele sei lá quantas vezes uma afirmação (confissão positiva). Não, ele pregou a palavra, só isso. Só isso? Não, TUDO ISSO. Hoje em dia as igrejas tem tratado a palavra como “ só isso” e é aí que erramos. Quando substituímos a Bíblia por outros apelos como “isca”, quando substituímos o sangue de Jesus pelas leis judaicas do antigo testamento, quando esquecemos o básico do cristianismo e começamos a inventar moda, pronto, não vai dar certo.

É fácil encher igreja, principalmente usando os mesmos métodos que se usam no mundo. É fácil vender CD ou DVD, é fácil convencer pessoas hoje em dia, mas transformar pessoas em verdadeiros cristãos é mais complicado, por que isso acontece com palavra e nada mais, e a palavra tem sido deixada em segundo plano. Não sou contra o entretenimento, desde que isso não seja a principal razão pela qual vamos a igreja.

A Bíblia é um manual para a vida. Tudo que você precisa aprender esta lá. É um livro de receitas que não falha nunca. Se você seguir a receita nunca terá dificuldade; mas até mesmo os crentes hoje em dia tem a tratado como um “um livro antigo” meio ultrapassado, que necessita de uma ajudinha por que, por si só, não pode transformar alguém. MENTIRA!

Meus manos e manas, por favor, vamos voltar ao evangelho “puro e simples”, vamos voltar a ter a Bíblia como única fonte de fé e prática. Vamos buscar nela a revelação e a vontade de Deus pra nós, vamos crer que tudo que precisamos está lá; a fé vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus, e sem a fé não agradamos ao nosso Senhor. Percebem como santidade, obediência e tudo mais que agrada a Deus vem pela fé, e a fé só vem pela palavra (Bíblia)?

Vamos acordar, antes que seja tarde, antes que sejamos uma geração do “oba oba” e vazios por dentro, do mesmo jeito que são lá fora. Deus mexe sim com nossa emoção e isso é mesmo uma delícia, mas se nossa vida cristã estiver baseada somente em emoções, nunca vamos passar de crianças espirituais, e não digo criança no bom sentido de ser criança, mas no sentido de imaturidade e incompreensão da vontade do Senhor. Vamos pregar a palavra, vamos nos preocupar mais com ensino, vamos deixar a política, os relacionamentos, o entretenimento em segundo, terceiro, último plano e vamos falar da fonte, da única fonte.

Nele, que já deixou TUDO que precisávamos ali, na sua palavra, que é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, repreender, para corrigir, para instruir com justiça (2TM 3:16);

Vinicius Aguiar 
@Vinyaguiar

1 Response to "São tantas emoções..."

  1. Realmente amado irmão... Infelizmente hoje, ser cristão é estar por dentro da moda gospel, é ir a shows gospel, é chorar nos louvores, porque se vc não chora, vc não está deixando o Espírito Santo agir. Como se estivéssemos limitando a ação do Espírito Santo às lágrimas... Oremos para que nossa geração seja de fato, a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anunciar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.

    A paz.

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10