O papel de religião




Olá pessoal; como estão?!
Semana passada estava vendo alguns blogs, e me deparei com esse texto que me impactou muito...então decidi compartilhar com vocês:


O papel da religião
Que papel você acha que tem a religião? Nenhum. Porque o Evangelho de Jesus não deixa nenhum lugar para a religião. 
O cristianismo não é uma religião, é o anúncio do fim da religião. Religião consiste em fazer algumas coisas tais como comportar-se bem, adorar sacrificando algo, dar alguma coisa em troca do que você recebeu de Deus, seja dinheiro ou a sua presença nos cultos e programas religiosos... 
Sobre isso, o Cristianismo tem apenas dois comentários a fazer: Primeiro é que nenhuma dessas coisas tem a menor chance de ter o favor de Deus. Assim como o sangue de touros e bodes nunca podem tirar os pecados (Ler Hebreus), e nenhum esforço nosso para manter a atenção de Deus poderá ter sucesso (Ler Romanos). 
Segundo ponto é que toda a religião tentou (e falhou) aproximar o homem de Deus pelo esforço e merecimento, mas de uma vez por todas, Jesus foi o único que conseguiu fazer isso com a sua morte e ressurreição. 
O Evangelho, portanto, fechou a loja da religião. A igreja não deve estar no negócio de religião. Nunca foi e nunca será a sua missão, apesar de vários perus eclesiásticos através de dois mil anos agirem como se a religião fosse o seu negócio. A igreja, em vez disso, está no negócio de Proclamar o Evangelho. Ela não está aqui para trazer ao mundo a má notícia de que Deus vai pensar gentilmente sobre nós só depois de termos passado por certos rituais, liturgias e ética... 
A igreja está aqui para trazer ao mundo as Boas Novas de que "quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós" - É isso, em suma, e sem nenhuma finalidade religiosa, que a igreja deve prestar, só para anunciar o Evangelho da graça de Cristo Jesus a todos. Eu costumo dizer que estou “desigrejado” - fora desse modelo de igreja que se presta a divulgar a religiosidade, os CDs e os artistas gospel, os líderes milionários, os profetas que pedem dinheiro em suas palestras, os pastores que vivem de pregar a palavra de Deus mas têm vários apartamentos e carros luxuosos... 
Esse modelo de igreja não representa o Evangelho de Cristo, esse modelo de igreja não me interessa, porque esse modelo de igreja é a representatividade da religião, não do Evangelho. 


 A nossa nova identidade 



Se eu pudesse fazer as coisas certas, eu estabeleceria o meu valor. Identidade é a soma das minhas realizações. Daí, se eu puder satisfazer meu chefe, atender as necessidades do meu cônjuge e filhos, e ainda fazer justiça às minhas aspirações internas, então vou ter a prova do meu valor. 

Há infinitas maneiras de provar nosso valor ao longo da nossa vida. A equação básica é esta: Eu sou o que eu faço. É uma posição religiosa na vida porque tenta responder em termos práticos, a pergunta: Quem sou eu e o que eu vim fazer no universo? 
Na teologia, essa posição é chamada de justificação pelas obras. Ela assume que o meu valor é medido pelo meu desempenho. Por outro lado, ela esconde, mal, um medo escuro e medonho: Se eu não realizar, vou ser julgado indigno. 
O Evangelho nos liberta dessa pressão obsessiva de “realizar”. O Evangelho declara que em Cristo "já somos". Enquanto o mundo, a carne e o diabo nos tentam constantemente para focalizarmos a nossa identidade em algo ou alguém menor do que Jesus. O Evangelho nos liberta ao revelar que a nossa verdadeira identidade está bloqueada em Cristo. 
Nossa conexão em Cristo é a verdadeira definição de quem somos. Se você é um cristão, aqui está a boa notícia: Quem você realmente é não tem nada a ver com você, nem com o quanto você pode realizar, nem com o que você pode se tornar, nem com o seu comportamento bom ou mau, nem com seus pontos fortes, nem com suas fraquezas, tão pouco com o seu sórdido passado, nem com a sua família ou sua educação, sua aparência e assim por diante... 
Sua identidade está firmemente ancorada nas realizações de Cristo, não nas suas realizações. Na força de Cristo, não na sua, o desempenho de Cristo, não no seu. Na vitória de Cristo, não na sua. Sua identidade está firmemente estabelecida na substituição. 
O Evangelho não vai livrá-lo apenas do que os outros pensam sobre você, liberta-o do que você pensa sobre si mesmo. 
Agora você pode passar a vida dando menos importância às regras da religião, porque a sua identidade está em Cristo, não na religião. 
Agora você pode passar a vida sem se preocupar tanto com a beleza, porque a sua identidade está em Cristo, e não na sua beleza. Agora você pode passar a vida dando menos importância para o dinheiro, porque a sua identidade está em Cristo, e não nas suas posses. Agora você pode passar a vida dando menos importância para os seus talentos, porque a sua identidade está em Cristo, e não nos seus talentos. 
 Agora você pode passar a vida dando menos importância para os erros do seu passado, porque a sua identidade está em Cristo, e não nas coisas que você fez no passado. 


 Cristo é a sua nova identidade.


[Texto escrito por: Sóli Limberger - Buscai o Reino ]



0 Comentários em "O papel de religião"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10