Para sempre te amarei! [Ele escolheu os cravos - parte 6]


- "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." JOÃO 3.16
- "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus." 2 CORíNTIOS 5.21
- "Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." ROMANOS 5.8
- "Nisto está a caridade: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados." 1 JOÃO 4.10

Como Deus pode ser bom e justo? Como Ele pode dispensar verdade e misericórdia? Como Ele consegue redimir o pecador sem endossar o pecado? Pode um Deus santo negligenciar nossos erros? Pode um Deus bom punir nossos erros?
Do nosso ponto de vista existem apenas duas igualmente inapeláveis soluções. Mas sob a perspectiva dEle há uma terceira. Ela é chamada de "a Cruz de Cristo". A cruz.
Você consegue virar-se para qualquer direção sem ver uma? Em igrejas, numa lápide do cemitério, gravada em um anel ou suspensa por uma corrente. A cruz é o símbolo universal do Cristianismo. Uma opção singular, concorda?
É estranho como um instrumento de tortura se transformou em um movimento de esperança. Os símbolos das outras religiões são mais otimistas: a estrela de Davi, com seis pontas, a lua crescente do islã, a flor de loto do budismo. E uma cruz para o Cristianismo? Um instrumento de execução? Você usaria uma minúscula cadeira elétrica em volta do pescoço? Penduraria na parede o chicote dourado do carrasco? Imprimiria a figura de um batalhão de fuzilamento em seu cartão de visitas? Mas nós fazemos isto com a cruz. Por que a cruz é o símbolo de nossa fé?
Para encontrar a resposta não é necessário olhar além da cruz. Seu desenho não poderia ser mais simples. Um traço horizontal — outro vertical. Um na diagonal — como o amor de Deus. O outro na vertical, para cima — como a santidade de Deus. Um representa a dimensão do seu amor; o outro reflete a altura de sua santidade. A cruz é a interseção. É onde Deus perdoou seus filhos sem descer seus padrões. Como Ele pôde fazer isto? Em uma única sentença: Deus colocou nossos pecados sobre seu Filho e nEle os puniu. "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus" (2 Co 5.21).
Uma segunda explicação: "Cristo nunca pecou! Mas Deus o tratou como pecador, para que Cristo nos fizesse aceitáveis para Deus". Visualize o momento. Deus em seu trono. Você na terra. E, entre você e Deus, suspenso entre você e o céu, está Cristo na cruz. Seus pecados foram colocados sobre Jesus. Deus, que pune o pecado, derrama sua ira de justiça sobre os nossos erros. Jesus sofre esta ira. Uma vez que Cristo está entre você e Deus, você não é atingido, mas salvo — salvo à sombra da cruz. Isto foi o que Deus fez, mas por quê? Por que Ele faria isto? Dever moral? Obrigação celestial? Requisito paterno? Não. Deus não é obrigado a fazer coisa alguma. Além do mais, pense no que Ele fez. Ele deu o seu Filho. Seu único Filho. Você faria isto? Você ofereceria a vida de seu filho por alguém? Eu não.
Há aqueles por quem eu ofereceria a minha vida. Mas peça que eu faça uma lista daqueles por quem eu entregaria a vida da minha filha. A folha ficaria em branco. Nem preciso de caneta. Não existem nomes na lista. Mas a lista de Deus contém o nome de cada pessoa que já existiu. Pois esta é a amplitude do seu amor. E este é o motivo da cruz. Ele ama o mundo. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito" (João 3.16). 
A viga central proclama tão corajosamente a santidade de Deus quanto a viga transversal declara a dimensão de seu amor. Você não fica aliviado pelo versículo não ser assim: "Porque Deus "amou o rico..."? Ou, "Porque Deus amou o famoso..."?
Ou, "Porque Deus amou o magro..."? Tampouco ele afirma: "Porque Deus amou os europeus ou africanos... ", "o soberbo ou bem-sucedido... ", "o jovem ou o velho..." Não. Quando lemos João 3.16, simplesmente (e com alegria) lemos: "Porque Deus amou o mundo". Qual a dimensão do amor de Deus? Grande o bastante para todo o mundo. Você está incluído no mundo? Então está incluído no amor de Deus. É bom estar incluído!
Não é sempre que isto acontece...As universidades o excluem se você não for esperto o suficiente. O mundo dos negócios o exclui se você não for qualificado e, infelizmente, algumas igrejas o excluem se você não for bom o suficiente. Porém, apesar das possibilidades de exclusão, Cristo o inclui. Quando indagado sobre a amplitude de seu amor, Ele esticou uma das mãos para a direita e outra para a esquerda, então as pregou nesta posição para demonstrar que Ele morreu amando você. "Mas não há um limite? Certamente deve haver um fim para este amor" — você pode pensar. Mas Davi, o adúltero, nunca o encontrou. Paulo, o assassino, nunca o encontrou. Pedro, o mentiroso, nunca o encontrou. No que diz respeito à vida, todos chegaram ao fundo do poço. Mas quanto ao amor de Deus, seu fim nunca foi encontrado. Eles, assim como você, encontraram seus nomes na lista do amor de Deus. E pode estar certo de que aquEle que escreveu os nomes sabe como pronunciá-los.
Ele te ama

              Trecho extraído do livro: Ele escolheu os cravos - Max Lucado

Desejo a todos uma ótima semana *-*
Criticas, duvidas e sugestões:
ca_fdr@hotmail.com
www.twitter.com/camila_scherrer

0 Comentários em "Para sempre te amarei! [Ele escolheu os cravos - parte 6]"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10