EU RENUNCIO! (...ou QUASE isso...)

Jesus renunciou sua condição divina para se tornar servo até à morte!

De algum tempo prá cá, tenho visto e ouvido muitas pregações e estudos sobre o "servo de orelha furada".
Contextualizando, nos tempos antigos, uma pessoa poderia servir como "escravo" de outra por um determinado período mas, passado este período - digamos, 7 anos - ela seria liberta. No entanto, se o escravo liberto desejasse, por amor ao seu amo, permanecer servindo-o, como sinal de sua servidão voluntária furaria sua orelha e permaneceria como servo na casa de seu amo por toda sua vida. Ou seja, os "servos de orelhas furadas" eram pessoas que renunciavam a seu direito de liberdade, para servir por amor aos seus amos.
Nas interpretações atuais, compara-se o "servo de orelha furada" aos que servem à Cristo por livre e espontânea vontade, e tenho visto várias pessoas se auto-declararem "servos da orelha furada". Mas... será?
Será que, de fato, renunciamos aos nossos direitos e nos tornamos, mesmo, "servos da orelha furada"?
O servo não tem bens; o servo não tem direitos; o servo não tem domínio! O servo nada mais é do que alguém que serve ao seu senhor!
Costumamos chamar Jesus de "Senhor", mas será que de fato somos submissos à Sua Vontade?
Temos o direito de nos autoproclamarmos "servos da orelha furada" ou, pelo menos, "discípulos de Cristo"?
Recorramos às próprias palavras do Senhor Jesus:

"Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo." (Lucas 14 : 33)

A palavra "renúncia" poderia ser definido como: atitude consciente e voluntária de abrir mão de direitos próprios. E a palavra "discípulo" poderia ser defido como: o aprendiz que se submete a uma disciplina para que pode se tornar semelhante a seu mestre.
Por quê, para ser discípulo de Cristo é necessário renunciar tudo o que tem? Porque foi isso que o Mestre fez!
Jesus, o Rei da Glória, despiu-se de sua condição divina para habitar entre os homens! E como homem, renunciou a todos os seus direitos - TODOS! - para servir, e servir até a morte!
Quem não tem em si a convicção de que precisa renunciar a si mesmo, de fato, está longe de assemelhar-se a Jesus Cristo! E, portanto, não pode se dizer "discípulo" daqu'Ele que negou-Se a Si Mesmo de maneira tão radical!
Certa vez, um jovem rico e de bom coração desejou ser discípulo de Jesus, e pediu os "pré-requisitos" para seguir ao Mestre dos mestres... Jesus, em resposta, disse que era necessário obedecer as leis de Deus. O jovem deve ter se animado, afinal de contas era um homem que, provavelmente, vivia dentro de uma cultura religiosa de piedade e obediência:

"Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades. Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus." (Mateus 19.20-23)

Jesus amou este jovem, e convidou-o a segui-Lo! Mas o jovem não conseguiu renunciar ao quê possuía, e saiu triste...
Sabe por quê o jovem saiu triste? Porque não há nada mais triste nesta vida do que não seguir ao seu chamado! Ao negar ao convite de Jesus, o jovem escolheu não cumprir o Própósito de sua vida, de acordo com a vontade agradável, boa e perfeita de Deus!
Se, por um lado, não há nada mais triste que não viver o seu chamado, não há nada mais realizador do que cumprir o propósito pessoal! As pessoas que vivem seu propósito são, inevitavelmente, felizes!
Claro que a felicidade não excluiu lutas e dores... Não as excluiu, mas as supera! Para quem é feliz, problema é só um problema e, como tal, será solucionado... Nada rouba a paz de quem vive no centro da vontade de Deus!
Preciso fazer uma confissão pessoal: Como o Ap. Paulo (leia em Filipenses 3.12), não falo aqui como que já tenha alcançado a plenitude dessa situação... Ainda busco viver meu chamado, e ainda tenho coisas a renunciar para que a vontade completa de Deus se efetive em minha vida... Mas só o "tanto" que eu experimentei de renúncia de mim mesmo em prol da vontade de Deus me dá ousadia e convicção o suficiente para dizer: renunciar dói, mas vale a pena!
Vale a pena, porque tudo aquilo que renunciamos para Deus, Ele nos compensa com condições internas - e até externas - incomparavelmente melhores!
Renunciar a si mesmo para viver o chamado pessoal requer coragem e tolerância à frustração... Mas o resultado é um senso de propósito e a realização da plenitude de vida!
Mas é necessário reuniciar... E isso dói! (preciso repetir quantas vezes for necessário: "renunciar dói"!)
Aliás, se não doer, é porque não houve renúncia!
O jovem rico fugiu da dor, e eincontrou a tristeza. Se não tivesse fugido da dor, teria encontrado a felicidade plena!
Qual é o seu tesouro?
Bens materiais, como o do jovem da Bíblia?
Ou, quem sabe, sua vaidade e seu orgulho...
...ou seus costumes...
...ou seus relacionamentos...
...ou suas idéias próprias...
...ou determinados prazeres...
...ou... o quê?
Jesus não te obriga a segui-Lo. Jesus não obrigada ninguém a renunciar a nada... Até por quê, a renúncia é um ato voluntário: não pode ser forçado!
Agora, se quiseres viver a plenitude de sua vida, e ser um discípulo de Jesus...
...terás que renunciar ao teu tesouro!
Porque não se pode servir a dois senhores: ou se serve a Deus, ou aos "valores pessoais" - seja lá quais forem.
Não existe Evangelho sem renúncia!
Não existe conversão sem renúncia!
Não existe discipulado sem renúncia!
E não existe conquistar a plenitude de sua vida, a verdadeira felicidade, sem renunciar a si mesmo!

"Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de Mim, achá-la-á." (Mateus 10 : 39)

Dois requisitos para encontrar a verdadeira Vida: perder a sua vida (renúncia) e amar a Cristo!
Para ser feliz, devemos renunciar-nos a nós mesmos por amor a Cristo!
Como?
Um pouco mais e mais, a cada dia!
Mais hoje do que ontem... Mais este ano que o ano passado!
E, proporcionalmente à nossa renúncia, a Verdadeira Vida se estabelecerá em nossa vida!
Que aprendamos e vivamos isto!
E, à propósito, um abençoado ano a todos!
Que Deus guarde-nos, ilumina-nos, guie-nos e abençoe-nos grandiosamente, na proporção de nossa autorenúncia, durante cada dia de 2011!
Forte abraço!
Ev. Danielson

0 Comentários em "EU RENUNCIO! (...ou QUASE isso...)"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TEXTOS MAIS ACESSADOS