Roteiro de viagem: Natal - RN (parte 1)

Os 400 quilômetros de costa de Natal e arredores, emoldurados por dunas, recifes, falésias e piscinas naturais, fazem da capital do Rio Grande do Norte um dos destinos mais procurados do país. Junte-se a tudo isso passeios de bugue, rústicas vilas de pescadores, natureza preservada, noite agitada e sol quase todos os dias do ano. Resumo: férias perfeitas!
Natal foi fundada pelos portugueses no século 16, com a construção do Forte dos Reis Magos. A fortaleza, com formato semelhante ao de uma estrela de cinco pontas, é um dos principais cartões-postais da cidade. Além de guardar canhões e muitas histórias, descortina uma bela vista das praias urbanas da capital potiguar.

A mais procurada é Ponta Negra, concorrida durante o dia em função de seus quiosques; e badalada quando o sol se põe por reunir alguns dos melhores bares e restaurantes locais. Em muitos deles, o cardápio é repleto de delícias típicas da culinária regional à base de frutos do mar, carne-de-sol, feijão verde, arroz-de-leite...

O dia começa cedo em Natal. A primeira providência é alugar um carro - de preferência um bugue, o meio de transporte oficial para circular pela capital e arredores. Seguindo para o litoral Norte, os destaques são as dunas de Genipabu e as lagoas de Jacumã e Pitangui, onde são praticados o esquibunda e o aerobunda. Ao Sul, as tranqüilas praias da região levam à vila de Pipa, a 90 quilômetros.

Quando o assunto é compras, os mercados de artesanato espalhados por Natal oferecem peças em madeira, tecido e vidro. No Centro de Turismo, um casarão onde funcionou a cadeia pública, os destaques são os delicados bordados em renda de labirinto e os coloridos trabalhos em cerâmica.

O que ver e fazer em Natal

A primeira coisa a fazer para curtir os principais atrativos de Natal é alugar um carro ou contratar um bugueiro. Em seguida, é só decidir que direção tomar. Rumo ao litoral Norte, do outro lado do rio Potengi, está um verdadeiro parque de diversões natural em meio a dunas, lagoas e praias da região de Genipabu. Entre as atrações estão manobras radicais nos montes de areia, passeios a bordo de dromedários, aerobunda (tirolesa) e esquibunda (descida em pequena prancha) nas lagoas de Pitangui e de Jacumã. Vale a pena esticar o passeio até Maracajaú, um complexo de piscinas naturais a cinco quilômetros da costa.

Para o litoral Sul, as paisagens revelam algumas das mais belas praias da região, entre elas, as do vilarejo de Pipa. No caminho até lá, paradas obrigatórias em Pirangi do Norte, onde está o maior cajueiro do mundo; e, para quem viaja com crianças, em Pirangi do Sul, ponto de partida rumo às piscinas naturais.

Ponta Negra:
A mais badalada praia de Natal tem barracas animadas no calçadão e um mar que reúne banhistas e surfistas. Ponto de encontro de várias tribos, é freqüentada por nativos e visitantes.Ponta Negra tem como marca registrada o Morro do Careca, uma duna de 120 metros de altura e cercada por vegetação, com acesso fechado.

Pirangi do Sul:
As piscinas naturais de Pirangi são as mais próximas de Natal e da praia, de onde partem escunas para mergulhos. É uma opção de parada para quem visita as praias do Sul.

Curtir Genipabu
O grande atrativo são as dunas que, aliadas aos bugues, fazem de Genipabu um verdadeiro parque de diversões no meio do nada. Os passeios podem ser “com ou sem emoção”, o que significa mais velocidade e manobras radicais pela dunas móveis e fixas, vez por outra abençoadas com lagoas de águas doce. Do topo do monte de areia é possível apreciar a Lagoa de Genipabu e também fazer passeios na corcova de dromedários. O percurso termina na praia de Genipabu – apesar de tranqüila e protegida por uma coluna de recifes, não é tão bonita em função das águas turvas. Mas aproveite para fazer uma parada no Bar 21, certamente um dos mais fotografados do mundo pela perfeição do cenário: ele fica aos pés da duna, ao lado de um coqueiro retorcido pelo vento.

Passear de bugue até Pipa
O passeio é quase todo feito pela praia, terminando em um dos cenários mais belos do litoral potiguar. A viagem, de 90 quilômetros, vale a pena também pelo charme e pelo astral da vila de pescadores, repleta de bares, restaurantes, lojas e pousadas, além de gente jovem e bonita vinda dos mais diversos cantos do mundo.

Barra de Tabatinga
A enseada de águas calmas é procurada por famílias com crianças, que lá encontram o Parque do Tubarões. Mas quem garante a fama de Barra de Tabatinga são os golfinhos, que costumam brindar os visitantes no final da tarde. Para avistá-los, siga para o mirante da estrada. Enquanto os animais não dão o ar da graça, aprecie o visual emoldurado por dunas e falésias. Tabatinga é aúltima praia do litoral Sul de Natal.

Maracajaú
A 60 quilômetros de Natal, Maracajaú é famosa por seus parrachos – formação de recifes de coral - a sete quilômetros da costa, perfeitos para mergulho. Bastante preservados, abrigam rica fauna marinha, como budiões, baiacus, polvos e moréias, vistos com máscara e snorkel na maré baixa. A praia é acessível de bugue, a partir de Genipabu ou Muriú. Atenção às condições do tempo, tanto para chegar quanto para mergulhar: escolha um dia de maré baixa e bastante ensolarado, quando a visibilidade da água é maior.

Muriú
É a continuação do passeio pelas dunas de Genipabu, levando à lagoa de Pitangui para a prática do aerobunda e à de Jacumã para o esquibunda.

Maior Cajueiro do Mundo
Com 8.500 metros quadrados de copa, num emaranhado de galhos e cipós, o cajueiro está registrado no Guinness Book como o maior do mundo. Na época da safra, de setembro a dezembro, os visitantes podem saborear a fruta enquanto dão voltas pela árvore.

Esportes e Ecoturismo em Natal

As belezas naturais de Natal não se restringem à contemplação. Seus cenários e atrativos são aproveitados também para a prática de esportes. Os aquáticos, sem dúvidas, são os mais procurados, como o surf e o windsurf nas praias urbanas de Ponta Negra e dos Artistas; e o mergulho, nas piscinas naturais. Em terra firme, os passeios de bugue pelas dunas ganham a companhia de emocionantes ralis a bordo de veículos 4x4,motos e caminhões. Já os amantes do trekking encontram trilhas no Parque das Dunas, encravado em uma área de preservação ambiental. E o céu não é o limite na capital potiguar. Passeios de ultraleve em Genipabu permitem observar cada cantinho de um dos cartões-postais mais belos do Nordeste brasileiro.

Megulho
Nos parrachos, como são chamados os recifes de corais, é possível curtir a vida marinha apenas com snorkel e máscara. As piscinas naturais de Pirangi estão entre as mais procuradas – são as mais próximas de Natal e também da costa. Já Maracajaú e Perobas ficam entre 50 e 90 quilômetros da cidade e a cinco da costa. As belezas debaixo dá água, porém, compensam a viagem.

Off-road
Natal é um das cidades mais procuradas para sediar ralis em veículos 4x4, 4x2, motos e caminhões. As competições - e também os passeios - acontecem em meio a praias e canaviais, criando verdadeiros labirintos. Os mais animados podem fazer o percurso até Fortaleza. São quatro dias de viagem ao logo de 800 quilômetros, passando por 80 praias.

Surf
Mais badalada praia urbana de Natal, Ponta Negra atrai surfistas de todos os níveis em função de suas grandes e bem formadas ondas. Também a praia dos Artistas, na região central, é procurada pelos adeptos do esporte na maré alta. A turma do surf costuma ainda pegar a estrada e viajar até Pipa, a 90 quilômetros de Natal, para curtir as ondas das praias do Amor e do Moleque.

Trekking
Segundo maior parque urbano do país, com uma área de 1.172 hectares de Mata Atlântica, o Parque das Dunas é o local preferido dos praticantes de trekking em função de sua boas e sinalizadas trilhas. Entre as mais conhecidas estão Ubaia-Doce, com 2.800 metros; Peroba, com 1.400 metros; e Perobinha, com 800 metros. Durante a caminhada é possível apreciar a vegetação nativa, além de dunas e animais como sagüis, aranhas e aves. Criado em 1977, o parque é a primeira unidade de conservação ambiental implantada no Rio Grande do Norte.

Ultraleve
Cenário dos passeios de bugue e de dromedário, as dunas de Genipabu também podem ser vislumbradas do alto, através de ultraleves alugados na área.

Windsurf
Os ventos fortes que sopram na região de São Miguel do Gostoso, a 120 quilômetros de Natal, tornaram o local ponto de encontro de praticantes de windsurf, além de velejadores e kitesurfistas.

FONTE

Por hoje é só pessoal
Semana que vem tem mais =)
Uma ótima semana a todos; fiquem com Deus!

                                                  Por: Camila Scherrer

0 Comentários em "Roteiro de viagem: Natal - RN (parte 1)"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TEXTOS MAIS ACESSADOS