Paradigma da sociedade

Por Vanessa Utzig
Calorão natalino tropical. Melquideseque arquiteta com Etelvina um natal diferente. Muito difícil. Sem dinheiro nem reserva, pelo menos tem a comida, a coca-cola e o mais importante: uns aos outros, família unida na fartura e na pobreza. Bem entendido que até o momento sempre na pobreza, mas na alegria singela da paz em Cristo. Felizes sim, muito além do consumo. Ok, nem tão fácil assim, há uma pontinha de descontentamento entre os filhos que bem queriam ganhar presentes. Mas as contas tão grandes, a água, a luz, o aluguel, o supermercado, o verdureiro, o leiteiro, tanta coisa! Mais a ceia de natal, modesta, mas imprescindível, não se podia negar. Desempregado após o breve Censo, fazendo bicos aqui e ali, aguarda nova oportunidade, pai de família cansado de ouvir entre os amigos de seu filho expressões como: “paradigmas da sociedade” para desmoralizar os próprios pais, como pessoas desnecessárias, ultrapassadas, preconceituosas, atrasadas. Reduzem a Palavra de Deus a mero: “paradigma da sociedade”, saqueando dos pais a autoridade que lhes é devida e negando os Mandamentos Divinos, dentre os quais se destaca a honra aos pais depois de Deus. E tudo se resume no amor. À oração da meia-noite seguem-se os comes e o refrigerante, na comemoração que deveria ser em setembro, não importa, e mesmo aqueles que reclamam dos “paradigmas da sociedade” comem moram com suas famílias, mesmo que a elas não tenham o amor merecido. Seja ingratidão ou imperfeição, eis que urge abrir-se os corações ao nascituro Eterno que a cada dia bate à porta. Seja Bem-Vindo, Senhor Jesus! Amém.

0 Comentários em "Paradigma da sociedade"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TEXTOS MAIS ACESSADOS