Leitura Diária • Deuteronômio 14-16



POR ELIÉZER RODRIGUES.

DESTAQUES:
  • Alimentos puros e impuros
  • A lei do dízimo
  • O ano da remissão
  • Três festas que devem ser guardadas.

TEXTO ÁUREO: "Guarda-te, que não haja palavra perversa no teu coração... e não lhe dês nada; e que ele clame contra ti ao SENHOR... Pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra." (Deuteronomio 15:9,11)

ANÁLISE
Dar aos pobres era reconhecer que todas as possessões dos israelitas pertenciam ao Senhor. Eles eram apenas mordomos do amor de Deus, distribuindos aos menos afortunados. Quando damos a alguém que precisa da nossa ajuda, nós estamos emprestando ao Senhor. Ele nos dá a Sua Palavra como garantia: "Ao SENHOR empresta o que se compadece do pobre, ele lhe pagará o seu benefício." (Proverbios 19:17)
Deus sempre se identificou com os pobres e desamparados. Dar um copo de água em seu nome, é como dá-lo ao Senhor: "Porque tive fome e você me alimentou, eu estava com sede, e me vestistes ..." (Mateus 25:35-36). O sofrimento do povo oprimido toca o coração, nosso coração também deve ser tocado.

"Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?" (1 Juan 3:17)

PENSAMENTO DE HOJE: O cristão não dá para cumprir a lei, mas ele ajuda por amor.

CRISTO REVELADO
  • Através do ano de remissão, que tipifica o perdão de nossos pecados por Cristo (Deuteronômio 15:1).
  • Isso deveria nos ensinar a perdoar os outros, assim como Ele nos perdoou.

2 Responses to "Leitura Diária • Deuteronômio 14-16"

  1. É bem interesante analisar o livro de Deteuronômio. No começo, a preocupação principal de Deus era mostrar ao seu povo a importância de obedecê-Lo. Logo depois, Deus mostra na prática com ações como o povo de Israel devia obedecê-lo. A verdade é que temos que considerar que aquele povo ainda não compreendia o amor de Deus e nem o amor ao próximo, aquele povo ainda não compreendia o que eram os dez mandamentos, aquele povo não cnseguia transformar em ações o que Deus lhes ensinara por meio de seus servos.
    Um exemplo disso é justamente Dt. 15 onde Deus fala essa questão do perdãoo da dívida. Em primeiro lugar, devemos considerar que não deveriam existir pobres no meio do povo de Israel. No entanto, nem todos obedeceram às ordenanças de Deus, se desviando dos propósitos de Deus de fazer prosperar aquele povo e, pior, os que eram ricos não compreendiam o que era amar o próximo, o que era ser complacente. Por isso Deus falou à cerca do perdão das dívidas. Aí nos remetemos justamente nesse ponto que você abordou.Aquele povo deveria aprender a perdoar de coração e não por obrigação. É justamente por isso que Deus fala várias vezes em Dt.15 que, ninguém se preocupasse em perdoar as dívidas pois Ele o abençoaria mais devido o perdão da dívida. Aprendemos que quando perdoamos, não só obedecemos à Deus como também alcançamos dEle algo maior que um simples perdão: a plenitude de Sua maravilhosa graça! A paz.

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente, obrigado por seu comentário, Tânia.
    Tudo isso que você enfatizou é uma grande verdade. A questão do perdão é realmente algo que nos levar a desfrutar da plenitude da graça divina.
    Excelente a sua colocação!

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10