Reflexão: "O tesouro de grande valor"



Olá pessoal!
Essa semana resolvi postar uma reflexão que falou muito ao meu coração, me fazendo pensar sobre o que realmente é importante para mim!
Onde estão as suas motivações? Em homens? dinheiro? bens materiais?
Aprenda que as coisas mais simples é que são essenciais!
Espero que gostem...

O TESOURO DE GRANDE VALOR!

“Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Mateus 6.21).

A agitada movimentação de pessoas e carros ao redor da belíssima igreja na praça central anunciava que o evento mais esperado do mês estava para começar.
Crianças e adultos, bonitos e bem vestidos, permaneciam enfileirados pelos corredores, aguardando com expectativa, o momento de poder adentrar à grande nave do templo, que estava toda enfeitada com flores, luzes e velas.
Do lado de fora, a multidão se acotovelava na esperança de conseguir entrar. Do lado de dentro, cada família procurava encontrar o melhor lugar, para ver de perto o ilustre pregador, que a convite dos organizadores, abrilhantaria a celebração.
O dirigente se apresentou cordialmente e deu início aos serviços de culto. A congregação já havia entoado vários hinos, acompanhada da orquestra sinfônica e de um famoso coral de cem vozes, quando a palavra foi concedida ao preletor da noite.
Eloqüente, mas muito refinado, o homem de cabelos grisalhos e mãos fortes apoiou-se na tribuna e começou a sua preleção. Não se ouvia um único som, além da voz firme e compassada daquele homem.
De repente, uma figura inusitada, atravessou o grande portal do templo e adentrou a igreja pelo corredor principal. Um menino simples, humilde e ingênuo, aparentando pouco mais de seis anos de idade, caminhou em direção ao altar, olhando admirado a suntuosidade daquela catedral. Todos os olhares se voltaram para ele.
Descalço, com os cabelos despenteados e sem camisa, ele levantou seu bracinho fino, enquanto o pregador falava, acenou com a mão, tentando atrair o seu olhar, agora, desconcertado pela intromissão do menino. Ele fez uma pausa, levantou as sobrancelhas com ar de arrogância e com um olhar frio e indiferente, disse:
— Pois não, filho. O que você quer?
— Deixe-me cantar uma música para Jesus?
— Deixo. Mas vá a sua casa e tome um banho. Troque de roupa, coloque uma camisa bem bonitinha, calce uns sapatos limpinhos, penteie os seus cabelos e venha cantar uma música para Jesus.
Com um olhar entristecido e com a cabeça baixa, o menino saiu pelo corredor, enquanto o ministro recomeçava a sua pregação.
Passados alguns minutos, o menino retornou ao altar e outra vez acenou para o pregador, que parou a mensagem e, aborrecido perguntou com voz firme:
— Diga, filho. O que você quer agora?
Timidamente, ele respondeu:
— Deixe-me cantar uma música para Jesus.
O velho e experiente orador engoliu a seco, respirou profundamente e disse:
— Tudo bem. Mas faça o que eu lhe disse. Vá até a sua casa e tome um banho. Vista uma roupa adequada, coloque uma camisa e calce uns sapatos, penteie estes cabelos e venha cantar uma música para Jesus.
Cabisbaixo, ele saiu outra vez do templo. O pregador acenou com a cabeça para os seus ouvintes, em sinal de desaprovação e, chamando a atenção do público, continuou a sua mensagem. Passaram-se alguns minutos e o menino retornou ao altar, interrompendo a ministração. Sem nenhuma compostura e ética, o homem arregalou os olhos e irado, gritou:
— O que você quer, agora? Eu já disse um milhão de vezes. Se você quer cantar uma música para Jesus, vá a sua casa e peça para a sua mãe dar um banho em você. Troque de roupa, calce uns sapatos, penteie os seus cabelos e venha como gente cantar essa música para Jesus.
Com olhos cheios de lágrimas, o menino respondeu:
— Eu não tenho casa. Não tenho mãe, nem pai. Eu não tenho camisa, nem sapatos. Só por isso eu não posso cantar uma música para Jesus?
Constrangido e envergonhado, diante do menino e de toda a congregação, que ouviu estarrecida aquelas palavras, o pregador disse ao menino:
— Desculpe, filho. Eu não sabia. Suba aqui no altar e cante uma música para Jesus.
Timidamente, ele subiu as escadas do púlpito, aproximou-se da tribuna e segurou firme, com as duas mãos, o microfone. Ele fechou os olhos e começou a cantar, com voz doce, mas cheia de sentimentos, um antigo cântico cristão:
Ele é tudo pra mim.
Ele é tudo pra mim.
Ele é o tesouro que eu tenho,
guardado em meu peito.
Ele é tudo pra mim.
Ele é o tesouro que eu tenho,
guardado em meu peito.
Ele é tudo pra mim.
Ele abriu os olhos, agradeceu e devolveu o microfone.
A igreja toda estava em lágrimas. O preletor arrasado falou com a voz embargada:
— E eu que pensei que este menino não tivesse motivos para louvar! Quantas pessoas pensam como eu, que possuem muito mais do que ele, mas se recusam a oferecer um cântico humilde de louvor e gratidão ao Senhor. Este menino possui a maior riqueza. A mensagem principal desta noite não era a minha, mas a dele: “Jesus é o maior tesouro que um homem pode possuir!”


Onde está o seu tesouro? O verdadeiro louvor não brota das circunstâncias, mas de um coração adorador, que reconhece pela fé, o senhorio e a fidelidade de Deus em todas as situações. O salmista disse: “Tudo o que tem fôlego louve ao Senhor” (Sl 150.6).
Louve-o por todas as coisas! Andar, falar, ouvir, ver, comer, etc., podem parecer coisas tão insignificantes diante dos sonhos que almejamos, que sequer valerá a nossa atenção e gratidão, mas Paulo disse: “Em tudo dai graças, pois esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1Ts 5.18). Independente dos fatos, comece a louvar! No dia em que não sentimos vontade de orar, este é o dia em que mais precisamos de oração.
Ainda que você não sinta vontade de louvar, comece a glorificar a Deus, independente das circunstâncias. O verdadeiro louvor é fruto da fé e surge quando não há motivos para cantar. Reconheça o agir de Deus nas coisas pequenas e simples do seu viver e Ele revelará as grandes e extraordinárias que tem preparado para você.
Jesus ensinou este princípio divino na parábola dos talentos: “sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei” (Mt 25.21).
Tome posse do seu verdadeiro tesouro! O seu coração se encherá de alegria quando você começar a entoar o novo cântico que Ele tem colocado em seus lábios. Faça isso pela fé!
“Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por nós, como não nos dará também com ele todas as coisas?” (Rm 8.32). Agradeça a Deus por Jesus Cristo, a expressão máxima do Seu amor por nós. Aproveite esta oportunidade, multiplique os seus talentos e apresente-os a Ele em forma de louvor e adoração.
Em Deus, há um futuro cheio de esperança para você. Ele pode devolver-nos a capacidade de sonhar e de sorrir. “O coração alegre aformoseia o rosto” (Pv 15.13). Não permita que alguém, ou qualquer outra coisa, impeça o seu louvor.
Faça como aquele menino “rico”. Libere este cântico e “não atentes para a aparência, nem para a altura. O Senhor não vê como vê o homem. O homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1Sm 16.7).

[Texto extraído do Livro “O contador de Histórias” – Autor: César Santos]




Desejo a todos uma ótima semana!!!                                    
Fiquem com Deus *-*
Bjs

0 Comentários em "Reflexão: "O tesouro de grande valor""

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10