Tá esquentando!

Por Eliézer Rodrigues








Páááááááááára!!!
Enfim, mais uma quarta feira chegou e hoje vou postar algo mais sério, na verdade, algo bem sério.
Trata-se do aumento da temperatura na Amazônia. Algo de relevante importancia e preocupação nos dias de hoje.
Recebi um texto muito bem elaborado por uma leitora do blog. A estudante de jornalismo manauara, Lívia Paula Maia me enviou um artigo sobre a Amazônia e é ele que irei postar hoje.

A AMAZÔNIA VERSUS O AUMENTO DA TEMPERATURA.

O aquecimento global é resultado do aumento da concentração de gases de efeito estufa na atmosfera o que ocasiona o aumento da temperatura e as possíveis mudanças climáticas em todas as regiões do planeta. Essas mudanças levam em conta cenários da economia, população, avanço tecnológico dentre outros, uma vez que, estão ligados ao consumo e às necessidades como um todo.
Os gases de efeito estufa se concentram na atmosfera desde o período da Revolução Industrial, 1850, e continuou se agravando depois da Segunda Guerra Mundial, 1939-1945. As emissões de dióxido de carbono, CO2, causada pela queima de combustíveis fósseis tais como a gasolina, óleo diesel e carvão mineral contribuem para um aquecimento e mudanças rápidas no clima e temperatura.
Segundo dados divulgados pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC,na sigla em inglês) a temperatura aumentará em todo o planeta no decorrer do século XXI, e este aumento se concentrará muito mais nos continentes do que nos oceanos. Em regiões mais chuvosas o período de chuvas tende a aumentar, assim como em regiões de seca as chuvas continuarão ainda mais escassas, além do aumento e freqüência de fenômenos naturais extremos como furacões, enchentes e secas muito mais prolongadas.
Contudo em meio a todo esse quadro, na Amazônia a situação é diferente. Todos os modelos climáticos preveem o aumento da temperatura na região mas não concordam entre si em relação ao quadro de chuvas. Existe uma grande possibilidade de a floresta amazônica não resistir às mudanças climáticas e ser substituída por uma vegetação mais esparsa, do tipo savana.
O meteorologista e pesquisador do Núcleo de Modelagem Climática e Ambiental do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia ( Inpa), Luiz Cândido, diz que as mudanças de temperatura na região amazônica são relativas e dependem, também, do avanço da tecnologia , da economia e, assim, da própria população. A temperatura na Amazônia pode aumentar 13,5°C até o final deste século, mas é claro que há uma variação de acordo com o local. Manaus, por exemplo, que tem hoje uma média de 27°C pode ficar até 3,5°C mais quente ou até mais chegando a 32,5°C em média de temperatura .
Para entender sobre o que acontece com a temperatura é preciso entender que aspectos e o que é estudado e abordado. Os dados sobre clima e temperatura são dados a partir de modelos climáticos que definem uma perspectiva das mudanças que ocorrerão no clima e na temperatura. A partir dos dados pode-se dividir as possíveis temperaturas em três cenários: um otimista (com um aumento de temperatura relativamente baixa), um intermediário (com uma elevação de temperatura significativa) e um pessimista (com um grande aumento de temperatura). Depois de analisada a média dos resultados de todos os modelos temos: 21 modelos no clima atual,17 modelos no cenário otimista, 19 no cenário intermediário, e 16 num cenário pessimista. Para alguns cenários também são analisados modelos individuais por apresentarem tendências de mudanças climáticas especificas em sua região. É o caso do modelo climático do Centro Haddley no Reino Unido, o modelo climático do Instituto de Pesquisas Espaciais Goddard da Nasa dos EUA e o modelo do Serviço Meteorológico da França.
Cândido afirma que os três modelos individuais simulam pra Amazônia um clima mais seco com escassez de chuvas de 10% segundo os modelos do Centro Haddley e do Serviço Meteorológico da França, e de 20% segundo o modelo do Instituto de Pesquisas Espaciais da Nasa. A tendência de aumento da temperatura do ar na Amazônia nas primeiras décadas do século XXI é de 0,3° C por década, o que é um aquecimento mais elevado em relação a taxa global, que é de 0,2° C por década. Isso acontece porque o aquecimento nas regiões oceânicas, que cobre cerca de 70% da superfície do planeta, é mais lenta.
O clima e, conseqüentemente, o ecossistema podem ser ajudados se houver uma diminuição significativa na liberação de dióxido de carbono, CO2. o que é uma opção para tentar preservar a floresta Amazônica e todo o planeta, e a adoção de uma política sustentável.

Lívia Paula da Silva Maia.
Acadêmica de jornalismo.

É isso aew, gambazada. Esse foi o texto da nosso leitora Lívia Paula Maia, nos alertando para as possíveis consequências de toda a poluição que o próprio homem vem causando à natureza.
Cabe a nós nos concientizarmos e preservarmos mais.
Vai aqui meu agradecimento à Paulinha...muitooo obrigado pela informação e pelo artigo enviado.
E vc, leitor, pode fazer o mesmo. Envie-nos seu texto e, depois de analisarmos, ele pode ser postado aqui em nosso blog.
Meu contato é eliezer_rodrigues@hotmail.com e estou a disposição para qualquer critica, sugestão e reclamação.

Eu volto na semana que vem com um artigo inédito... ou não. Vai que eu seja demitido.
Que a paz de nosso Senhor esteja com cada um de nós e que Deus vos abençoe ricamente.

0 Comentários em "Tá esquentando!"

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TOP 10