A doença mais antiga do mundo... Você sabe qual é?

********************
Por Carol Albini.












A doença conhecida mais antiga do mundo é a lepra, cujos primeiros registros datam de 1350 a.C..
Apesar da idade, um tratamento rápido e eficaz contra ela só foi descoberto no início dos anos 80,
com o desenvolvimento da poliquimioterapia.
A moléstia é causada pela bactéria Mycobacterium leprae, e ataca principalmente os nervos e pele,podendo causar deformações em estágios mais avançados. Devido ao preconceito com o qual a doença é encarada, seu nome foi mudado no Brasil para hanseníase.
O nome hanseníase é devido ao descobridor do microrganismo causador da doença .Gerhard
Hansen.
Ela é endêmica em certos países tropicais, em particular na Àsia. O Brasil inclui-se entre os países de alta endemicidade de lepra no mundo. Isto significa que apresenta um coeficiente de prevalência médio superior a um caso por mil habitantes. Os doentes são chamados leprosos, apesar de que este termo tenda a desaparecer com a diminuição do número de casos e dada a conotação pejorativa a ele associada.


História

O uso de sino era obrigatório para os leprosos na Idade Média. Desde que a escrita existe, tem-se registro de como a lepra representou uma ameaça, e os leprosos foram isolados da sociedade. No Egito antigo, há referências à lepra com mais de 3000 anos em hieróglifos (de 1350 AC). A Bíblia contém passagens fazendo referência à lepra, sem que se possa saber se se trata da doença: este termo foi utilizado para designar diversas doenças dermatológicas de origem e gravidade variáveis. A antiga lei israelita obrigava aos religiosos a saberem reconhecer a doença.
A lepra foi durante muito tempo incurável e muito mutiladora, forçando o isolamento dos pacientes em gafarias, leprosários em português do Brasil, principalmente na Europa na Idade Média, onde eram obrigados a carregar sinos para anunciar a sua presença. A lepra deu nessa altura origem a medidas de segregação, algumas vezes hereditárias, como no caso dos Cagots no sudoeste da França.
No Brasil existiram leis para que os portadores de lepra fossem "capturados" e obrigados a viver em leprosários a exemplo do Hospital do Pirapitingui (Hospital Dr. Francisco Ribeiro Arantes). A lei "compulsória" foi revogada em 1962, porém o retorno dos pacientes ao seu convívio social era extremamente dificultoso em razão da pobreza e isolamento social e familiar a que eles estavam submetidos.


Bíblia

A Bíblia menciona os sintomas da lepra:
Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes.
E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga
parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o
declarará por imundo.
Levítico 13:2,3

O que significa lepra na Bíblia:

Há, pelo menos, duas lições espirituais das ordens sobre a lepra:

1- A importância da obediência. Entre as últimas orientações dadas por Moisés ao povo de Israel
são estas palavras: “Guarda-te da praga da lepra e tem diligente cuidado de fazer segundo tudo o
que te ensinarem os sacerdotes levitas; como lhes tenho ordenado, terás cuidado de o fazer”
(Deuteronômio 24:8).

2- A necessidade de distinguir entre o limpo e o imundo. A chave ao entendimento deste significado da lepra aparece em Levítico 14:54-57 – “Esta é a lei de toda sorte de praga de lepra, e de tinha, e da lepra das vestes, e das casas e da inchação, e da pústula, e das manchas lustrosas, para ensinar quando qualquer coisa é limpa ou imunda. Esta é a lei da lepra.”
Deus usou coisas físicas – sejam doenças, questões de higiene ou diferenças entre animais – para
ensinar princípios espirituais.
Devemos ser obedientes a todas as instruções que o Senhor nos deu. E quando a imundícia do
pecado invade a nossa vida, devemos agir com urgência para eliminá-lo, mesmo se forem
necessárias medidas radicais.
Sejamos santos, para a glória do nosso Senhor perfeito e santo (1 Pedro 1:14-16; 2 Coríntios 6:17-18).

Um indivíduo do sexo masculino com 24 anos de idade que padecia de lepra.

VOCÊ SABIA?

** Além do Homem, outros animais de que se têm notícia de serem suscetíveis à lepra são algumas espécies de macacos, coelhos, ratos e o tatu. Este último pode servir de reservatório e há casos comprovados no sul dos EUA de transmissão por ele. Contudo a maioria dos casos é de transmissão entre seres humanos.
** A lepra ataca hoje em dia ainda mais de 12 milhões de pessoas em todo o mundo. Há 700.000
casos novos por ano no mundo!!!
** Noventa por cento (90%) da população tem resistência ao bacilo de Hansen (M. leprae),
causador da lepra, e conseguem controlar a infecção. Nem toda pessoa exposta ao bacilo desenvolve a doença, apenas 5%. Acredita-se que isto deva-se a múltiplos fatores, incluindo a genética individual.
** Indivíduos em tratamento ou já curados NÃO transmitem mais a lepra.
** SINTOMAS: Um dos primeiros efeitos da lepra, devido ao acometimento dos nervos, é a
supressão da sensação térmica, ou seja, a incapacidade de diferenciar entre o frio e o quente no local afetado. Mais tardiamente pode evoluir para diminuição da sensação de dor no local.
Perna com lesões de lepra. A lepra indeterminada é a forma inicial da doença, e consiste na maioria dos casos em manchas de coloração mais clara que a pele ao redor, podendo ser discretamente avermelhada, com alteração de sensibilidade à temperatura, e, eventualmente, diminuição da sudorese sobre a mancha (anidrose).
** TRATAMENTO: Hoje em dia, a lepra é tratada com antibióticos, e esforços de Saúde Pública
são feitos para o diagnóstico precoce e tratamento dos doentes, além de próteses de pacientes
curados e que tiveram deformações e para a prevenção voltada principalmente para evitar a
disseminação.
** INDENIZAÇÃO AS VÍTIMAS NO BRASIL: De acordo com o decreto federal 6.168, de 24 de
julho de 2007, os pacientes internados compulsoriamente e isolados em hospitais colônias de todo o País, até o ano de 1986, terão direito à pensão vitalícia mensal no valor de R$ 750. Para receber o benefício, os pacientes precisam apresentar documentos que comprovem a internação compulsória e preencher um requerimento de pensão especial.


ALGUNS CASOS DE LEPRA NA BÍBLIA

** 2Re 5:1 - E NAAMÃ, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu
senhor, e de muito respeito; porque por ele o Senhor dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.
** 2Cr 26:21 - Assim ficou leproso o rei Uzias até ao dia da sua morte; e morou, por ser leproso,
numa casa separada, porque foi excluído da casa do Senhor.
** Mat 26:6 - E, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso
Agora você já sabe qual é a doença mais antiga segundo registros bíblicos e segundo a própria história da humanidade.


Espero que tenha gostado de nossa coluna!!!

FAÇA SEU COMENTÁRIO!!!

Se você tem alguma curiosidade ou tem alguma ideia para que seja postado nessa coluna, mande-me um e-mail: carol_albini@hotmail.com

E até semana que vem, se assim Deus permitir!

SHALOM ADONAI!

5 Responses to "A doença mais antiga do mundo... Você sabe qual é?"

  1. Olá pessoal,sou estudante de enfermagem e gosto muito me estudar a doença hanseníase é fico profundamente triste com o termo lepra,não se usa mais esse termo e gostaria que todos chamassem de hanseníase e os seus portadores de hansenicos ou hansenianos.E preciso devolve-los a dignidade.Sejam mais humanos.bjsssssssssssss!

    ResponderExcluir
  2. Estou montando uma esboço e me ajudou muito , obrigado ;Denis DF ,que o Senhor Jesus te abençoe muito.

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar e dar sua opinião.
ELA É DE RELEVANTE IMPORTÂNCIA PARA NÓS!

Identifique-se, pois queremos estar sempre em contato direto com nossos leitores!

Obrigado por acompanhar, divulgar e orar pelo blog O Semeador!
Que Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus!

Blog Archive

TEXTOS MAIS ACESSADOS